quarta-feira, 20 de maio de 2020

POSSO TREINAR DURANTE A PANDEMIA? Veja o ponto de vista dos Ultraloucos

Quando o mundo foi surpreendido com o tema Coronavírus, o suposto estrago que ele causaria, abalou quase todos os pilares da sociedade atual. O medo era tamanho com o risco eminente em perder a vida, que inicialmente não se sabia como seriam nossos próximos meses e nossas rotinas. Com o crescente número de novos casos, várias orientações foram surgindo, em como sair de casa, o que evitar, os locais de maior risco de contágio, o desespero foi tomando conta das pessoas e tudo, aos poucos, foi parando. Até mesmo o viciante treino da galera, seja pra corredores, ciclistas, cross fit, marombeiros, tudo foi abalado. A grande pergunta era: treinar pode me prejudicar em meio a pandemia do Covid19? Claro que os “cavaleiros do Apocalipse”bombardearam as redes sociais, dizendo que treinar não era aconselhado, levantando várias teorias insanas, que só aumentavam o pânico nas pessoas e as afastavam de algo que lhe trariam benefícios, como atividade física. Mas logo profissionais da área, pesquisadores, cientistas, pessoas de bom senso, trouxeram de forma prudente e esclarecedora o benefício da atividade física nesse momento de medo, onde o emocional está totalmente abalado, pessoas trancadas dentro de suas casas, aumentando ainda mais a inatividade física e suas consequências. Foi orientado que a atividade física em intensidade leve a moderada, em volumes não tão altos ajudaria a estimular o sistema auto imune e assim estarmos mais fortes contra possíveis inimigos. A grande orientação era evitar aglomerações, contato interpessoal, entrar em contato com coisas que outras pessoas haviam tocado e não fora higienizado. Assim muitos lugares já foram descartados, como academias de musculação, cross fit, funcional e afins. As atividades ao ar livre e de preferência sozinho estava sendo indicado. Mas logo, mais uma vez, os “cavaleiros do Apocalipse “ vieram com mais novas teorias, sobre o caos e o fim dos tempos que a corrida poderia promover. Muitos estavam treinando literalmente no meio do mato, com contato zero com a civilização, onde o risco de tropeçar numa cobra era infinitamente maior do que qualquer vírus ou bactéria. Outros escolheram horários e circunstâncias que afastariam de qualquer contato pessoal, minimizando assim os riscos, segundo os especialistas. O ponto é que já estamos quase 3 meses nesse imbróglio e não sabemos quanto tempo mais vamos ficar. A atividade física faz sim, muito bem a saúde física e mental, ajudando muito nossos corpos e principalmente nossos ânimos, pra ajudar nessa batalha com tempo indeterminado. Mas é claro, falando de corrida, independentemente da estimulação ou supressão do sistema auto imune, não teremos, provavelmente, provas nos próximos meses, treinos exaustivos, alta intensidade não teria necessidade, seria somente riscos desnecessários de lesão, num calendário futuro indefinido. Os treinos devem seguir as orientações de não compor aglomerações, de preferência sozinhos ou num pequeno grupo. As regras de distanciamento também ajudam a diminuir o risco, seguindo as ordens de evitar contatos físicos e toda questão de higienização. Se podemos ser inteligentes e usar uma ferramenta ao nosso favor, de forma segura, por que não usá-la? O problema nunca esteve na corrida e sim no contato físico e próximo à outras pessoas, seguindo os procedimentos corretos o treino deve sim continuar!

Um comentário:

  1. Quando começou essa pandemia eu fiquei treinando dentro de casa 15 dias, mas depois que os médicos anunciaram que poderia correr desde que seja sozinho e sem aglomerações. Daí comecei a treinar nas ruas, principalmente no mato sozinho e sem aglomerações. Parabéns por abordar esse assunto aqui.
    Bons treinos,

    Jorge Cerqueira

    ResponderExcluir